Quinta-Feira, 14 de Dezembro de 2017   

 .:: HOTÉIS E POUSADAS
 Ordem Alfabética
 Por Bairros e Distritos
 Por Tarifas
 Locais para Convenções
 .:: PACOTES
 Natal 2017 e Réveillon 2018
 .:: SAÚDE E BELEZA
 Spas e Clínicas
 .:: COMER E BEBER
 Restaurantes e Pizzarias
 .:: SERVIÇOS
 Locais para Festas
 Serviços e Manutenção
 Transfer e City Tour
 .:: IMÓVEIS
 Aluguel por Temporada
 Imobiliárias
 .:: O QUE FAZER
 Bares e Casas Noturnas
 Lazer e Aventura
 Cinemas e Teatros
 Pólo de Compras
 .:: TURISMO
 Ecoturismo
 História
 Turismo Cultural
 Turismo Histórico
 .:: INFORMAÇÕES
 Como Chegar
 Mapas
 Telefones Úteis
 .:: DICAS
 Empregos
 Classificados
 .:: FALE CONOSCO
 Contato
  .:: Notícias
 

A cidade foi Fundada em 16 de março de 1843 e completou em 2017, 174 anos de história.

O município de Petrópolis, também conhecido como Cidade Imperial, está localizado no estado do Rio de Janeiro, no Brasil. Ocupa uma área de 795,798 km², sendo a maior e mais populosa (passando dos 310.000 habitantes) cidade da Região Serrana Fluminense.

Petrópolis é a cidade mais segura do estado do Rio de Janeiro e a sexta cidade mais segura do Brasil, segundo classificação do IPEA para cidades de médio e grande portes. Petrópolis é a sede do Laboratório Nacional de Computação Científica, que se trata de uma unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

O clima ameno, as construções históricas e a vegetação abundante são grandes atrativos turísticos. A cidade possui um movimentado comércio têxtil e também de serviços, além de produção agropecuária (com destaque para a fruticultura) e indústria.

Fundada por iniciativa do Imperador Dom Pedro II (devido a esse fator, a cidade também é conhecida como a "Cidade de Pedro"). É frequentemente chamada de "Cidade Imperial", por ser a rota preferida de Dom Pedro para seus momentos de lazer e repouso.

Um pouco sobre a história de Petrópolis, a Cidade Imperial.

O Major Koeler havia sido contratado pelo governo da Província do Rio de Janeiro para restaurar a estrada que ligava o Porto da Estrela a Paraíba do Sul. Alugando a fazenda como sede de seu trabalho, Koeler teve oportunidade de conhecer melhor a região. Mesmo sabendo que as terras não serviam para a agricultura, o Major decidiu implantar ali uma colônia agrícola.

Para dar início ao seu empreendimento, Koeler apresenta o plano a Paulo Barbosa, Mordomo da Casa Imperial que, por sua vez, o apresenta a D. Pedro II. Assim, apoiando o projeto, D. Pedro II assina o Decreto Imperial n° 155, de 16 de março de 1843, criando a Povoação de Petrópolis, reservando um espaço suficiente para se construir um Palácio Imperial de verão e outro para se erigir uma igreja dedicada a seu santo de devoção, São Pedro de Alcântara. Um terceiro terreno ficaria também reservado para o assentamento de um cemitério.

Lembrando-se da cidade de Petersburgo (Cidade de Pedro), Paulo Barbosa procurou no grego um equivalente e denominou a nova povoação de Petrópolis.

A colonização alemã

Em 1837, ancorou no porto do Rio de Janeiro um navio que seguiria da Alemanha para a Austrália. O navio Justine trazia 238 imigrantes alemães, que decidiram não prosseguir na viagem devido aos maus tratos recebidos. Koeler engajou-os no serviço da restauração da estrada. O presidente da Província, Aureliano Coutinho, decidiu contratar também outros imigrantes alemães para trabalharem nos serviços públicos da cidade.

Com o sucesso da utilização da mão de obra alemã, determinou-se a contratação de mais 200 casais para trabalhem na capital.

Por erro de escrita ou propositalmente modificada, a quantia estipulada de colonos passou de 200 casais para 200 famílias, aportando no Rio de Janeiro diversos navios com um número muito superior de pessoas. Eram tantos que a cidade do Rio de Janeiro sozinha não era capaz de absorver. Assim, a solução encontrada por Paulo Barbosa foi enviar uma parte deles para Petrópolis.

Inicialmente, a mão de obra visada por Koeler era de lavradores alemães. Mas a grande maioria deles não era de camponeses e, assim, deram grande impulso à industrialização da nova povoação.

Estes pioneiros depois foram seguidos por outros povos, como franceses, ingleses, italianos, suíços, portugueses, libaneses, dando impulso ao crescimento da economia local, baseada principalmente na indústria.

O desenvolvimento de Petrópolis

A cidade se desenvolveu muito rápido. Já três anos depois de sua fundação, em 1846, era elevada a Curato da Freguesia de São Pedro de Alcântara e, 11 anos depois já era elevada à categoria de cidade, sem ter passado por vila, fato inédito na época.

Em 1854, Irineu Evangelista de Souza, o Barão de Mauá, inaugurava o primeiro trecho da primeira estrada de ferro do Brasil, ligando o Porto de Mauá à Raiz da Serra, facilitando o acesso a Petrópolis.


Além disso, Petrópolis era a cidade da moda. Era frequentada por intelectuais e políticos de renome, além de aristocratas estrangeiros, devido a permanência do Imperador aqui na serra, que ficava geralmente em seu palácio de verão de novembro a abril.

Daí surge, para abastecer essa população, elegante, as grandes casas de modas, hotéis, restaurantes, clubes e teatros na cidade.

Mas, em 15 de novembro de 1889 é proclamada a República no Brasil e a Família Imperial brasileira é exilada na Europa. Mudam-se nomes de ruas e praças e a população teme pelo progresso da cidade.

Essa temeridade foi só ilusão, porque logo em 1894, Petrópolis passa a ser Capital do Estado, devido a Revolução Armada estar ameaçando a estabilidade da Capital Niterói. A situação permaneceu assim até 1902.

Neste período, o Palácio Rio Negro tomou-se residência de verão dos Presidentes da República e assim, novamente Petrópolis lembra o fausto do período Imperial, recebendo novamente grandes nomes nacionais.




>>VOLTAR

 




 .:: Publicidade

 .:: Apoio


• Hotéis e pousadas em Itaipava por Ordem Alfabética • Hotéis e pousadas em Itaipava por Bairros e Distritos • Hotéis e pousadas em Itaipava por Tarifas
• Hotéis e pousada em Itaipava para convenções • Hotéis e Pousadas em Itaipava por Pacotes
• Itaipava News - Pousada em Itaipava, hotéis e lazer

© 2004-2016 Todos os direitos reservados Ecomputer • Desenvolvido por EComputer